O amor que temos por nossos filhos

Esta mensagem de Páscoa foi escrita recentemente por um grande amigo, que foi meu colega de seminário, o pastor Raimundo Alcântara, da Igreja Batista Missionária de Ferraz de Vasconcellos. Homem de Deus, responsável, dedicado e sensível às verdades divinas. Leiam com atenção. Vale a pena!

O amor que temos por nossos filhos

(Por Raimundo Alcântara)

Quem é pai ou mãe entenderá plenamente essa mensagem. Quem ainda não teve o prazer de ser pai ou mãe, compreenderá plenamente essas palavras um dia quando tiver seus filhos, mas hoje terá um breve lampejo do que isso significa.

Essa foi a minha experiência. Tudo começou assim: Depois de um dia daqueles em que eu não via a hora de chegar em casa após o trabalho. Não via a hora de beijar minha esposa e me divertir com meu filho. Aconteceu algo comigo que jamais me esquecerei. Estava subindo a rua de casa e minha esposa e meu filho me esperavam no portão. Era um dia de verão. Ainda estava claro. Avistei-os no portão e buzinei. Nossa casa fica perto de uma esquina!

Louco para abraçá-los, vendo que não tinha ninguém na rua, mais do que depressa engatei a ré para retornar e beijá-los. Nessa fração de segundo vi um vulto pequeno saindo de trás do meu carro e subindo na calçada. Mas como tinha pressa achei que era um cachorro que tinha saído de qualquer lugar. Enquanto dava a ré, vi que não era um cachorro, era meu filho! Na hora paralisei! Fiquei sem reação! Foi tudo muito rápido! Numa fração de segundo!

Ele sorria ao meu lado dizendo: “papai… papai…”. Ele estendia seus bracinhos em minha direção sorridente como se nada tivesse acontecido. Ele jamais teve noção do perigo que passara…

Num instante brequei o carro. Peguei-o em meus braços. Abracei-o. Beijei-o e, num ímpeto incontido de fúria, briguei com minha esposa. Disse à minha esposa Nidia: “Como que você solta  ‘o meu filho’ para vir ao meu encontro enquanto dirijo? Você não sabe que ele é uma criança?”. Parecia que o filho era apenas meu…

“Quando ele viu que era você soltou de minha mão e deu uma carreira ao seu encontro. Eu não consegui alcançá-lo. Foi tão rápido que eu gritei! Achei que você o tinha visto ir em sua direção ou tinha ouvido meus gritos!”, respondeu minha esposa desesperada! Ao ver eu engatar a ré e ele atrás do carro, ela congelou e gritou,! Naquela fração de segundos ela também achou que eu o tinha visto. O carro era um sedã e não dava visão no pára-brisa, já que ele era bem pequenino.

Inconformado com sua resposta, mas sabendo que realmente tudo aconteceu numa fração de segundo, enfurecido me calei. Agarrado ao meu filho não o soltava!

Coloquei meu filho em meu colo e então vagarosamente entrei na garagem. Enquanto entrava desabei a chorar. Chorei muito. Chorava imaginando que poderia ter matado meu filho, meu primogênito. Imaginei-o debaixo do carro da pior forma possível. Chorava apenas pela simples imaginação de saber que eu, seu pai, por tanto desejar vê-lo, poderia tê-lo atropelado. Foi um dos piores sentimentos de toda minha vida!

Tentei me recompor, mas nada me fazia parar de chorar. Minha esposa tentou consolar-me mais eu não parava de chorar. A imaginação daquilo que poderia ter me acontecido era tão forte que eu vivia um pesadelo mental em tempo real de olhos abertos. Foi algo além de mim mesmo. Creio que são experiências como essas que escritores de seriados americanos usam para se inspirar em series como Heróis, Lost e outros. É uma paranóia só. Viajei acordado, consciente, sem bebidas, sem fumo. Como dizem os jovens, eu estava careta, 100% normal. Foi algo dessa natureza que aconteceu comigo.

Lutei comigo mesmo, dizendo para mim que nada tinha acontecido, que Deus tinha nos dado um livramento maravilhoso! Vi a mão divina na hora daquela ré e do pulinho ingênuo do meu filho saindo do carro como se estivesse brincando amarelinha! O Lucas tinha três aninhos. Ainda não tínhamos o Filipe. Tentei com muitos argumentos me convencer, mas nada me fazia parar de chorar. Nunca tinha acontecido coisa igual ou parecida comigo. Senti-me como se toda a situação fugisse do meu controle. Mas o pior é fugir de algo que não aconteceu, como eu poderia fugir de uma coisa que não existiu? Tudo foi uma hipótese! Houve chance, mas não aconteceu nada!

Quem já passou por algo semelhante sabe o que estou dizendo. Sempre fui dono de toda situação, mas agora, meu interior desabava incessantemente. Minha esposa tentou consolar-me. Eu mesmo tentei, mas nada adiantou. Tentei assistir o jornal para me distrair, mas chorava. Mudei de canal. Assisti filmes. E continuava chorando.

Foi então que resolvi tentar jantar. Foi a pior janta da minha vida. As primeiras garfadas, desceram com lágrimas. Eu que amo comer, somente assim para negar. Coloquei o prato de lado e vi que por mais que eu lutava, era vencido em todo round interior.

Já era noite e então pensei: “Por que tudo isso esta acontecendo comigo? Por que eu não consigo me recompor? Parece que estou ficando louco? Uma loucura por aquilo que não aconteceu? Nada disso que imaginei aconteceu? Que pesadelo é esse? Meu dia foi ótimo, eu não estou com problemas nenhum e por que estou assim? Passei por um susto, mas foi somente um grande susto? Rai acorda seu filho já está dormindo! Deus te deu um livramento maravilhoso!”. Dizia para mim mesmo essas coisas e muitas outras, mas nada me trazia de volta.

Foi então em meio a aquela silenciosa noite, na sala, que tive outro pensamento: “Deus quer falar comigo? Essa situação foi longe de mais! Isso não pode ser mera circunstancia? Tem coisas aqui da parte de Deus para minha vida? Isso já está grande de mais para ser uma coisa natural apenas!”.

Somente nesse instante notei que a luta interior tinha terminado. O gongo soou. Eu estava na lona destruído, mas vivo. Percebi que voltei a mim mesmo. Eu notei que estava no controle da situação somente após esse pensamento. Curti intensamente o silencio daquela noite. De uma noite terrível estava sendo transformada numa noite repleta de expectativa. Fiquei absolutamente atento a qualquer coisa. Uma lucidez fora do normal invadiu-me. Vivi intensamente o que me aconteceria e pensava: “O que será que Deus quer me falar? O que será que ele quer me ensinar? Qual é a mensagem que ele tem para mim?”.

Essa doce expectativa teve o poder de mudar minha dor para esperança! Foi algo mágico. Somente Deus poderia ter feito isso em tão pouco tempo. Eu percebia que era Deus agindo por esses fatos.

Depois de algum tempo um pensamento foi impresso em minha mente de forma espetacular! As digitais eternas imprimiram algo em meu ser de uma forma tão significativa que não tive duvidas que Deus revelou-se a mim.

Pensei assim: “Como você estaria agora se soubesse que tinha matado seu próprio filho? Como seria sua vida daqui em diante sabendo o pai apresado atropelou seu filho amado? Como seria seu casamento a partir desse dia? Como seria seu futuro?”.

Respondi para mim mesmo: “O pior homem do mundo! O pior pai do mundo! O pior ser humano desse mundo!”. Enquanto respondia, sentia uma vontade imensa de morrer!

Então esses pensamentos ecoaram em todo o meu ser: “Você não queria matar seu filho. Você jamais faria isso por nada nesse mundo, mas Eu voluntariamente entreguei meu Filho, meu único Filho, para que através da sua morte Ele pudesse trazer muitos outros filhos e filhas novamente a mim… O que aconteceria com você se matasse seu filho seria algo sem propósito, um acidente, você jamais iria querer perder seu filho por nada nesse mundo, mas Eu fiz essas coisas voluntariamente… Meu Filho também desejou vir a esse mundo para poder reconciliá-lo comigo voluntariamente… Eu e Ele juntos sofremos muito conscientemente apenas para trazer a humanidade novamente a Deus, como tinha sido desde o principio no Éden, antes da queda. Fiz tudo isso porque nós amamos vocês. Fiz tudo isso porque desejo salvar os seres humanos da destruição eterna”.

Essas palavras invadiram minha mente, tomou conta do meu coração, meus sentimentos foram totalmente fisgados, e essas palavras, ora apenas pensamentos, foram impressos em meu coração, em meu ser de forma única e especial. A presença de Deus invadiu toda minha vida. A gloria de Deus invadiu minha sala. Minhas lagrimas que eram de profunda dor e tristezas se tornaram em lagrimas de alegria e contentamento!

Ainda hoje, enquanto me lembro de toda aquela noite, enquanto escrevo, sinto uma presença poderosa de Deus. Recordo-me, vivendo intensamente cada instante daquela noite.

Em cada momento que Deus deseja falar conosco, esses  instantes tornam-se momentos eternos em nossa vida corriqueira e atarefada. Podem passar muitos anos, uma simples lembrança trás tudo a tona como se estivéssemos vivendo aquele instante. Podemos nos esquecer de muitas coisas na vida, mas quando Deus se revela a nós, ninguém se esquece. Quando as digitais divinas são impressas em nossas vidas por qualquer situação, aqueles instantes passam a ser momentos eternos nossos. Como Deus é eterno, e nós não conseguimos nos esquecer desses lampejos do divino, mesmo que queiramos, isso está além de nos.

É assim quando Deus fala conosco.

Se você ainda não teve uma experiência com Deus, então eu te desafio de todo coração: Peça hoje a Deus para que Ele se revele a você de forma especial. Creia, num momento único e especial Deus se revelará a você! O maior interessado em sua vida é o seu criador! Se você se dispor à Ele e convidá-Lo, com certeza Ele te visitará. Davi disse assim: “Provem, e vejam como o Senhor é bom”, Salmo 34.8.

Contei essa historia apenas para dizer que durante esses dias todos nós celebraremos a festa da páscoa. A maior mensagem cristã está nesta festa. Na páscoa culminam todos os grandes acontecimentos da vida e obra de Jesus. Seu nascimento, seu ministério e todas suas obras somente tem sentido pelos fatos ocorridos na páscoa. Nada teria sentido se não acabasse como foi.

A páscoa nasceu com a libertação do povo Judeu da escravidão de 400 anos de prisão do Egito. Durante séculos os judeus celebraram essa data especial de geração em geração. Era um mandamento de Deus ao seu povo. Até hoje a páscoa faz parte do calendário judaico. E foi nesse contexto que Jesus deu uma nova e mais linda dimensão aquilo que já era especial. A páscoa judaica é o botão da rosa e a páscoa cristã e o desabrochar dessa rosa. Foi na páscoa que Jesus Cristo morre. Morre no lugar de Barrabás. Os judeus para expressarem um significado daquilo que lhes acontecera no passado, soltavam um prisioneiro que o povo desejasse. Essa era uma maneira de maquiar uma suposta libertação. Era mais uma atitude política do que religiosa algo apenas legalista sem sentido divino. Não foi isso que Deus sonhou para o seu povo!

Mas talvez você me diga: “Que beleza existe na morte de alguém? Ainda mais quando esse alguém foi o único homem Santo que viveu nessa terra?”.

Minha resposta é: “Sua morte não foi à toa. Sua morte foi uma morte substitutiva. Ele morreu para que aqueles que viviam na escravidão do pecado pudessem agora viver livres. Aqueles que durante séculos estavam separados de Deus pudessem agora se aproximar de Deus. A morte e a condenação que estava sobre todos nós pecadores, são lançadas agora sobre Ele que é justo. A justiça que estava sobre Ele, é derramada sobre todos aqueles que nEle crêem. Jesus Cristo vivo e nós permanecíamos mortos! Mortos em nossos delitos e pecados. Continuaríamos prisioneiros do Diabo. Jesus Cristo morto, nós recebemos sua vida em nós. Nós vivemos para Deus. Com sua morte e com seu sangue, Jesus Cristo venceu o Diabo, o mundo e o pecado. Por seu sacrifício podemos viver uma vida nova. É por essa razão que no meio da maior tragédia, nasceu a maior vitória.

Sem o sacrifício de Jesus por nós, Deus continuaria sendo Deus, mas nós, seres humanos, continuaríamos sendo escravos pela escolha que nossos pais fizeram no Éden. Com seu sacrifício, Deus trouxe-nos novamente para perto de si. A criação que um dia recebeu o maior presente de Deus, que é sua imagem e semelhança,  e que voluntariamente a deu de mão beijada para o Diabo, pode enfim ser adquirida novamente porque Deus tornou-se homem e com seu sangue puro pagou o preço para ter essa raça novamente como sempre ele quis.

Se Deus não tivesse enviado seu Filho para morrer em nosso lugar, jamais teríamos recebido vida eterna. Sua morte não foi em vão. Sua morte aconteceu para que os céus pudesse novamente receber todos os filhos e filhas de Deus. Todos são bem vindos. Todos podem entrar. Basta reconhecerem de todo o nosso coração que são pecadores. Basta aceitarmos o sacrifício de Deus por nós. Jesus é o caminho que nos leva ao Pai. Quando acreditamos que Jesus Cristo é nosso único Salvador, é nosso único Senhor e que não existe ninguém que possa nos levar a Deus, somos salvos. Esse é o maior presente de deus ao ser humano.

Pela primeira vez na minha vida pude sentir uma ínfima parcela do sentimento de Deus. Sei que o que Deus Pai sentiu na cruz foi imensuravelmente maior.

Eu quase matei meu filho. Isso me doeu muito… Doeu-me somente de imaginar o que nunca aconteceu. Eu jamais desejaria isso!

Quero te lembrar de um fato recente. Todos nós sofremos muito com a tragédia no Bairro do Realengo no Rio de Janeiro nesse mês. Muitos pais em todo país ligaram para seus filhos para saberem se eles estavam bem. Outros pais não pararam de pensar em seus filhos após aquelas noticias. Mas algo me marcou muito, foram os gritos das mães e dos pais que estavam desesperados aguardando a saída dos filhos da escola. Muitos gritavam por não saber se seus filhos estavam vivos ou mortos. Muitos filhos na escola ouviram os gritos de suas mães desesperadas, mas não podiam fazer nada.

Ouço afirmar isso: “Deus chama de forma intensa por cada filho e filha que ainda não está em seus caminhos. Deus grita desesperadamente, se assim pudesse dizer, para tirar cada filho e filha de caminhos de morte antes que seja tarde demais”.

Espero ser hoje a você uma voz divina, ou quem sabe ser a você um clamor de Deus, ou ainda quem sabe ser apenas uma lágrima  que escorre do rosto de Deus e possa ir ao seu coração te despertando ao Eterno. Espero de todo coração que você hoje ouça a voz de Deus e tome uma posição favorável a Ele. Aquelas crianças não podiam responder aos seus pais enquanto ouviam seus gritos, mas você pode responder ao seu Pai supremo hoje dizendo um sim, dizendo: “eu quero ir ao seu encontro meu Deus”!

Deus sofreu muito por entregar seu único Filho a nós. Isso foi algo voluntário de sua parte. O Filho voluntariamente também quis isso! Doeu ao Filho saber que seria moído nesse mundo, mas isso não o impediu de vir aqui na terra.

Deus sabia que esse era o único caminho para que muitos outros filhos e filhas voltassem ao céu.

O amor de Deus jamais poderá ser totalmente entendido por nós, mas pode ser crido e recebido por nós. Eu não preciso entender a mente de Deus, basta crer que Ele têm o seu melhor para mim.

É por essa razão que Deus não nos pede para entendê-lo e sim para obedecê-lo.

Em meio à dor, Deus fez tudo o que sonhou. Em meio à dor nasceu em Belém da Judéia uma esperança chamada Jesus Cristo.

Em meio à dor surgiu um peregrino que pregou a maior mensagem de todas, o Evangelho.

Em meio à maior agonia e humilhação ele morre na cruz. Mas sua morte foi à única vitoria.

Na cruz, com seu sangue derramado, toda condenação, todo pecado, toda tragédia humana foi reconciliada com Deus. Por seus feitos temos o perdão de Deus sempre presente sobre nós. Basta crermos e aceitarmos o maior presente e o maior dom de Deus.

Naquele dia depois dessa enorme experiência dormi! Dormi marcado por essa grande experiência com Deus! Dormi imaginando o quanto Deus sofreu um dia por mim… e o quando Deus voluntariamente se sacrificou por mim…

Páscoa é isso!

Páscoa é libertação de toda cadeia e grilhões espirituais do mal.

Páscoa é a lembrança do maior presente de Deus ao homem, Jesus Cristo morrendo na cruz do calvário por nós.

Páscoa é a alforria de toda culpa, de toda sentença em qualquer área da nossa vida.

Páscoa é a libertação de todo mal que deseja nos destruir.

Jesus Cristo venceu na cruz por nós, por isso somos livres! Por isso somos abençoados e protegidos por Deus!

E é na páscoa que a maior mensagem cristã se culmina. Sua morte foi especial. Sua ressurreição foi incomparável! No domingo Jesus ressuscitou!

Como dizia meu professor de Seminário José Carlos que “a prova de que vamos para o céu é por que um homem (Jesus) entrou  no céu. Ao Jesus ressuscitar se abriram todas as portas para todos os demais seres humanos. Um corpo humano entrou no céu, um dia entraremos também”.

Eu creio nisso! Nada poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus nosso Senhor!

Uma feliz páscoa a todos! Que Deus os abençoe!

Pastor Rai

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s