Flores do sono

Há no Himalaia um ponto em que florescem lindas flores; mas quem ali se demora logo adormece. Os que moram na vizinhança aspiram sempre o perfume de outra planta, antes de passarem por ali, a fim de contrabalançar os seus efeitos.

Quando ouvi contar isso, imaginei que as flores fossem venenosas, mas logo replicaram que não, pois quem ali adormecia, geralmente conservava a vida até doze dias depois e quando morria era em consequência da fome ou da sede.

Há também no mundo coisas que em si não são más, mas que apagam a nossa fome e sede espiritual, vindo assim a determinar a nossa morte. E como na outra planta cujo perfume mantém acordados os que por ali passam, também a oração nos manterá vigilantes entre as atrações do mundo.

(Sundar Singh em “O Apóstolo dos pés sangrentos”)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s