A serpente de quatro patas

Quatro_pernas

Nesta semana a comunidade científica se surpreendeu com a notícia da descoberta de um fóssil de serpente com quatro pernas. O fóssil, na verdade, foi descoberto há anos no Ceará, Brasil, mas estava abandonado em uma coleção no Museu Bürgermeister Müller em Solnhofen, Alemanha como um “fóssil desconhecido”. Somente nesta semana foi encontrado pelo Dr. Dave Martill, da Universidade de Portsmouth, da Inglaterra, que visitava o referido museu. O fóssil foi batizado de  Tetrapodophis amplectus, Serpente de quatro patas.

Fossil

Fósseis de serpentes com duas pernas já foram encontrados anteriormente, mas nenhum com quatro pernas o que faz os cientistas reformularem suas teorias sobre a evolução das serpentes. Parece claro que as atuais serpentes evoluíram de um lagarto terrestre e não de um lagarto marinho como se supunha. Este fóssil deverá ajudar a desvendar o mistério de como as serpentes perderam as pernas. A conclusão foi publicada pela revista Science desta semana. Mais informações em Livescience.com.

Se estes homens tivessem em si a capacidade de crer que todas as coisas foram criadas por Deus, então dariam mais crédito à Bíblia Sagrada, que afirma: “Então o Senhor Deus declarou à serpente: ‘Já que você fez isso, maldita é você entre todos os rebanhos domésticos e entre todos os animais selvagens! Sobre o seu ventre você rastejará, e pó comerá todos os dias da sua vida.’ ” (Genesis 3:14). O que aconteceu com a serpente não foi evolução, mas sim “involução”. Ela tinha pernas e deixou de tê-las. O que parece óbvio para qualquer observador comum é distorcido pelos evolucionistas. Não crer é a alavanca motriz da teoria evolucionista. Faz-nos lembrar do fiasco que foi para toda uma geração de cientistas e críticos incrédulos que zombavam da narrativa Bíblica sobre Babilônia e Ur dos Caldeus, a descoberta arqueológica de Sir Charles Leonard Woolley, na década de 1930. Nenhum outro documento na face da terra fazia referência à Ur dos Caldeus além da Bíblia. Os sabichões da elite científica zombavam da narrativa bíblica sobre Abraão e Ur, comparando-a com  lendas; no entanto tudo o que a Bíblia fala sobre Ur dos Caldeus foi comprovado pelas escavações em Tell Mugayyar, no Iraque. Uma civilização adiantadíssima para a época com saneamento básico, templos, adegas, residências de luxo e uma infinidade de artefatos de ouro, prata e bronze. No cemitério, nas tumbas das mulheres, se encontraram estojos de maquiagem semelhantes aos usados nos dias atuais. Foi uma vergonha para os ateus zombadores.

Assim continuará sendo sempre que cada palavra do Livro Sagrado se cumprir! Talvez não tenhamos, por enquanto, resposta para todas as questões levantadas pela ciência. Talvez porque as questões levantadas não sejam as que deveriam ser. Com raras e mui nobres exceções o que move os cientistas é o dinheiro e o prestígio. No entanto o tempo se incumbirá de trazer à luz o que precisa ser revelado. Quanto a nós, estamos firmados na Rocha Eterna e temos na Palavra de Deus tudo o que necessitamos para viver bem e em paz no mundo criado pelo nosso amoroso Deus.

“A glória do Senhor será revelada, e, juntos, todos a verão. Pois é o Senhor quem fala.
Uma voz ordena: ‘Clame’. E eu pergunto: ‘O que clamarei?’ ‘Que toda a humanidade é como a relva, e toda a sua glória como as flores do campo.
A relva murcha e cai a sua flor, quando o vento do Senhor sopra sobre eles; o povo não passa de relva. A relva murcha, e as flores caem, mas a palavra de nosso Deus permanece para sempre.’ ” (Isaías 40: 5-8)

“O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão.” (Jesus, em Lucas 21:33)

Daril Simões

Advertisements

One thought on “A serpente de quatro patas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s